quinta-feira, 8 de agosto de 2013

Sobre as mãos


 
Noite dessas senti uma saudade grande. 
Sinto saudade todos os dias, mas essa foi diferente.
Saudade das tuas mãos. Sim, das mãos.
Mãos que fazem carinho no meu cabelo. 
Que desenham com os dedos o contorno do meu rosto.
Mãos que me aquecem e me puxam pra perto no meio da madrugada. Mãos que aliviam minhas dores.
Mãos que nunca deixaram de entrelaçar as minhas. As mãos que me levantaram tantas vezes.
Mãos que seguram meu cabelo enquanto deslizo minha boca por cada centímetro do teu corpo. Mãos que agarram meu quadril me fazendo não querer ser de mais ninguém.
Mãos que fazem meu café da manhã ou janta. Mãos que pedem meus beijos.
Mãos que retratam meus traços de um jeito lindo e especial. Mãos que eu quero entre as minhas pelo resto dos meus dias.
Deitada aqui, contando cada minuto que passo longe, uma frase que tu conhece bem não sai da minha cabeça: "Não solta da minha mão."

Te espero, até quando puder.

terça-feira, 5 de março de 2013

Amor é...


Amor é paciência, colo, olhar. Amor é engolir sapo, orgulho e tudo que precisar. Amor é dar a mão, o braço, o ombro e todo o resto. Amor é dividir a cama de solteiro, o pastel, a escova de dentes. Amor é sentir vontade de bater e só conseguir abraçar bem forte, amor é ficar deitado sem sono enquanto o outro dorme. É sentir falta, ligar na madrugada, é brigar com o mundo inteiro só pra ver aquele sorriso lindo.
Amor também são lágrimas, angústia e dor. Amor é medo de perder, mesmo sabendo que nada vai separar tudo isso. É preocupação, planos pro futuro, insegurança. Amor é se atirar de um penhasco sem saber se o que te espera é um rio, ou só mais algumas pedras. Amor é fechar os olhos e dar as mãos, se dar ao incerto em busca daquilo que todos queremos.
Amor é correr riscos, sair do comodismo. Amor é estar sujeito a sofrer, mas acima de tudo é ter fé de que não foi tudo em vão, que as coisas vão ser até melhores do que imaginamos. Amor é viver, é você.

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Vai passar.


O laço soltou. Doeu? É claro que doeu, mas nisso alguém sempre está destinado a sair mais machucado, é lei.
E o que acontece agora? O mundo desabou e você ainda tenta segura-lo com essas mãos magrelas que não aguentam nem dar um tapa direito. A vida ta aí e não espera por você, nessas tuas idas e vindas muito tempo já passou e você nem saiu do lugar. Vamos lá, cadê aquela segurança toda? Afinal, de quem mais você precisa pra se manter em pé além das tuas próprias pernas? Desfaz as malas, sem medo. Se for pra ser, será.
O que te assola hoje, amanhã te liberta menina. Vai, anda, faz o que te der vontade e só não vale se arrepender. Leva a vida que tu sonhou, mande os outros pra onde te der  vontade se tentarem interferir. Um dia, pode ser hoje, amanhã ou daqui a 10 anos, mas você vai olhar pra trás e ver que tu só aprendeu a se por em primeiro lugar. Só percebeu que quem quer, vai atrás. Quem quer se importa, independente da situação. E se te machucou, não era pra você. Tem muita gente aí disposta a te fazer sorrir, lembra disso quando ficar triste. Amanhã você acorda e vai a luta como sempre fez, sem ter que explicar nada pra ninguém.
E quando você menos esperar o tempo passou e já nem dói tanto, talvez nem doa. Não mexa nas lembranças, deixa elas lá quietas, não de outra oportunidade pra que elas te cortem por dentro, por mais tentador que seja lembrar um pouco de tudo aquilo. Você ainda vai viver muita coisa que não vai precisar trancar numa caixa pra não te machucar. E é por isso que tu continua!

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

O que te faz feliz?

Depois de muito, muito tempo mesmo eu voltei. Voltei mas não sei por quê.. Estive aqui tantas vezes mas nunca mais consegui descrever com palavras o que eu sentia, nem cheguei perto disso. Tinha dias que pareciam nunca acabar, dias em que tudo que eu mais queria era falar o que eu sentia sem remorso, sem vergonha e sem as lágrimas que insistem em acompanhar quase todo sentimento.. Eu nunca as contive.
Havia dias tão secos que eu parecia engasgar com tudo que me parasse a frente, dias tão molhados que por desespero e até por não saber nadar eu pensava que acabariam comigo. Mas meus dias com cor sempre vinham, eram poucos mas valiam cada segundo da espera, valiam a sexta-feira ansiosa na espera de poder, finalmente, despejar tudo que eu sentia no meu poço de alívio. Mas e se eu transbordá-lo como fiz com o meu próprio? E se eu sufocá-lo com meus problemas sem ver os que ele me joga na cara?
Nunca fui daquelas "pra bom entendedor meia palavra basta".. Quem sabe um olhar, um sorriso, até algumas lágrimas. Mas não me venha com meias palavras, meios remorsos e me peça pra entender, eu não consigo. Eu preciso de certezas, afirmações, confirmações, chame como quiser.. Mas eu preciso saber que as coisas valeram a pena não só pra mim, preciso saber que se eu te transbordar não vai ser com meus problemas, ou até nossos. Preciso saber que antes de mim vem você, que estamos aqui por tudo ou nada. Sem meios termos ou felicidades pela metade.
Quero saber o que mais te faz feliz, até onde você vai por si próprio? Eu preciso, fiz das tuas inseguranças minhas e isso tem em assolado constantemente. Só me diz o que mais te faz feliz, me diz que é feliz comigo e além de mim. Me diz que posso dormir em paz todas as noites e que amanhã você vai estar ali completamente feliz por ser quem é, e depois por saber que estou aqui.

quinta-feira, 10 de maio de 2012


10 de Maio de 2012.    

Mesmo depois de tudo que aconteceu... Quero que saiba que eu não mudei, e nem pretendo mudar. Espero que o tempo não te leve pra longe, ele sempre passa rápido e nunca volta pra buscar nenhum momento, mais você sabe que podemos fazer momentos ainda melhores lá na frente. Cedo ou tarde ainda vou te encontrar em um barzinho qualquer e escutar aquele rock do jeitinho que a gente gosta. Ainda sou sua mana, lembra? Não esquece que você pode contar comigo sempre.                                            
                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                      I.A